Cinema com Açúcar – Comer, Rezar, Amar

comer rezar amar

Confesso que quando começaram a falar deste livro tive um daqueles momentos “não li e não gostei”. Pelo título achava que deveria ser muito auto-ajuda para o meu gosto. Mas então começou todo o burburinho sobre o filme que ia ser lançado. Agora, duas coisas que você deve saber sobre mim: 1) faço tudo que posso para ler o livro antes de ver o filme. 2) Se tem um filme de menininha, eu vou assistir!

Com essa combinação comecei a ler, e fiquei impressionada! Ela tem um jeito de escrever que é tão honesto e realista que te faz parar a cada 5 minutos e dizer “nossa, é verdade!”. Você se identifica e simpatiza com muitas partes das história. Embora quem sabe seja um livro muito direcionado para mulheres, fala de assuntos como amor e espiritualidade, que todo mundo pode se relacionar. Como diria uma amiga minha que também está lendo o livro “não é a toa que vendeu mais de 5 milhões de cópias!”.

Foi assim então que, um dia depois de um filme cheio de zumbis e muito sangue, fui ver o filme. Estava precisando desesperadamente de momentos de menininha. E foi o que consegui. O filme definitivamente não tem atinge o espectador assim como o livro faz com o leitor, mas mesmo assim é uma delícia.

Elizabeth Gilbert ( ou Julia Roberts!)

O filme é autobiográfico, e conta a história de Liz Gilbert, que depois de um divórcio e um caso de amor dado errado, decide que precisa mudar alguma coisa na sua vida, e parte numa viagem de auto descobrimento para Itália, Índia e Bali. Então, assim como o livro, o filme é dividido em três partes.

Comer

Começamos conhecendo Liz e tudo que ela passou. Então vemos ela começar a sua jornada que tem como ponto de partida Roma, onde ela vai ficar 4 meses. Esta é a parte do livro, e do filme, que mais me identifiquei! Por tudo que ela passa e, é claro, pela comida! Ter família em Roma também ajudou, para reconhecer os lugares e as comidas! É uma delícia ver no filme as refeições que ela faz, e com muito gosto!

a melhor pizza

Rezar

Ela chega na Índia e começa a procurar sua espiritualidade. Pra mim valeu muito pelas conversas que ela tem com ela mesma e pelo Richard, do Texas!

Amar

Em Bali, ela se torna aluna de um curandeiro e, é claro, conhece o seu par romântico!

love

O resultado é um filme que perde muito da graça e da identificação do livro, mas mesmo assim é gostoso de assistir. Pra quem leu tem muitos momentos que você reconhece palavra por palavra, mas também outros que foge completamente. Mesmo assim, continua sendo uma história verídica da vida de uma mulher, e acredito que muitas mulheres vão se identificar.

É engraçado ver o Javier Barden tentando se passar por brasileiro e não conseguindo muito. Os lugares são lindos e você sai do filme com vontade de sair na sua própria viagem de auto descoberta.Muitas pessoas acharam muito clichê, mas as vezes a vida é tão cheia deles que combina.

Como disse, é um filme gostoso, e para acompanhar uma receita gostosa!

Cookies de Brownie

Basicamente uma receita de brownie adaptada e super rápida.

300 g de chocolate meio amargo
1/2 xícara de farinha
pitada de fermento
50g de manteiga
1/2 xícara de açúcar
1/2 xícara açúcar mascavo
3 ovos
Derreta o chocolate. Junte numa outra tigela os outros ingredientes, menos os ovos e a farinha.

começando

Junte o chocolate e bata até incorporar bem o chocolate. Acrescente os ovos um de cada vez, e então a farinha.
Coloque numa forma aproximadamente uma colher de sopa da massa, separada dos outros por alguns centímentros.

blobs

Asse no forno pré-aquecido por mais ou menos 15 minutos, e voilà!

yum!

Agora é só comer e assistir! Se quiser rezar no meio disso, fique a vontade!
Anúncios

6 Comentários

Arquivado em aventuras culinárias, Cinema com Açúcar, passo a passo, receita

6 Respostas para “Cinema com Açúcar – Comer, Rezar, Amar

  1. Jéssica

    Estava eu, subindo para o apartamento da Marina, quando um aroma de chocolate tomou conta do elevador (!). Eram os cookies de brownie da Marina. Nem devia estar bom, hein?!
    Beijos

  2. Ciça

    Rá, eu fui citada!

    Quanto ao livro, to lendo.
    O filme, ainda não vi.
    Mas os cookies de brownie, já foram comidos e eu espero que mais doces seus passem por mim.

  3. Lívia Freire

    Parabéns pelo blog! muito legal, adorei o post.
    Vou tentar fazer essa receita com certeza, mas pra mim farinha é aquela farinha de mandioca que a gente põe no feijão! hehehe…

    Abraço!
    (ps.: sou uma amiga baiana do Munir!)

  4. Fernanda

    Adorei a dica… estou louca para assistir este filme! Agora, ainda mais… btw, seu blog é fantastico!! bj!

  5. Christa

    Foi a crítica mais saborosa que lí até hoje.
    melhor ainda porque é sobre um livro que adorei.
    A gente se sente meio dona do assunto….
    Só o filme está me dando uma canseira : até agora 3 tentativas frustradas para assistí-lo.
    Grande beijo, netinha. Omi

  6. Pingback: 1 ano | Confissões de uma Doceira Amadora

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s