Cinema com Açúcar – A Origem + Cinnamon Rolls

a origem

Bom, mesmo tendo feito a receita que acompanha esse filme, cinnamon rolls, na terça-feira, estava me enrolando até agora para escrever. Isso porque A Origem é um filme bastante complicado de se falar. Devo começar falando que saí com a mesma sensação do cinema de quando assisti Matrix pela primeira vez. A sensação de ter acabado de ver um filme que te apresenta um mundo novo, mas com a possibilidade de ser parte do seu. Um filme de ação, que te deixa na beira da cadeira, e mesmo assim te faz pensar, e até se esforçar, para acompanhar. E sem falar que é um banquete para os olhos.

cobb

O filme se passa num mundo em que existe a tecnologia para entrar na mente humana através a invasão dos sonhos, o que possibilita o roubo de segredos muito pessoais e escondidos. Um destes ladrões profissionais, Cobb, interpretado por Leonardo DiCaprio, é dado uma tarefa de fazer o contrário. Ao invés de retirar uma informação do subconsciente do alvo, ele deve inserir.

the kick

Mas isso pode ser a coisa mais difícil de se fazer. Para plantar uma ideia de modo crível, eles vão ter que ir mais fundo, para que a origem da informação não seja detectável. Pode ser um mundo complicado, mas o diretor Christopher Nolan nos dá Ariadne, interpretada por Ellen Page, que assim como nós, precisa aprender sobre esse mundo. Por exemplo, para sair do sonho, é necessério um “chute”, aquela sensação de queda que temos durante o sonho e nos acorda. Entendemos que viver entre o sonho e a realidade faz que as pessoas se percam, e por isso cada um tem seu “totem”, sua conexão com a realidade, a certeza que não então na mente de outra pessoa.

Como fica fácil de ver, explicar esse filme é uma tarefa difícil. Ainda mais quando não se quer entregar a história, pois acompanhar as surpresas e a tensão é um dos pontos altos do filme. Mas digo que é um tipo de história que a muito não se vê, e feita magistralmente. Assisti pela primeira vez em IMAX e digo que os efeitos são maravilhosos e perfeitamente encaixados no filme. Leonardo DiCaprio cada vez melhor em escolher projetos e Christopher Nolan como diretor, formam uma ótima dupla. É um filme que precisa ser visto.

Pra você que já viu, e ficou em dúvida quanto ao final, no final do post, depois da receita, tem a resposta. ATENÇÃO! Se você não viu, não leia!

Agora vamos à receita!

Cinnamon Rolls

Essa receita vem da rainha dos rolinhos de canela: Pioneer Woman!

Ingredientes

1 litro de leite integral

1 xícara de óleo vegetal

1 xícara de açúcar

6 colheres de chá de Fermento Biológico Seco

8 xícaras de farinha de trigo (+1 extra, separada)

1 colher de chá de fermento

1 colher de chá de bicarbonato de sódio

1 colher de chá de sal

1 xícara de manteiga

2 xícaras de açúcar

Canela (bastante!)

Começamos com o leite, o óleo e a xícara de açúcar. Numa panela em fogo baixo, deixe chegar perto de ferver e desligue. Não ferva. Espera uma hora para esfriar um pouco. Quando estiver morninho, e não quente, jogue a Fermento Biológico.

Espere o fermento ficar todo feliz e quentinho, mais ou menos um minuto, e junte com as 8 xícaras de farinha. Peneiradas. Sim, que chato. Mas depois vai facilitar sua vida. Misture bem, a massa já deve estar descolando da tigela. Depois disso, cubra e deixe num lugar que não seja muito fresco. E vá esperar mais uma hora. Sim, essa receita não é pra quem tem pressa. Mas vá ver um filme, ler um livro, tirar uma soneca. Aproveite!

Depois de uma hora, a massa vai crescer bastante. Eu infelizmente não resisti em mexer com a minha antes de tirar a foto. Ela, como sempre, se recusou a crescer do jeito que eu gostaria. Mas ela cresceu, sim senhor! Agora, acrescente mais uma xícara de farinha, uma colher de chá bem cheia de fermento, uma colher de chá baixa de bicarbonato e uma colher de sal. Agora, se você já se irritou de tanto esperar, pode começar a abrir a massa imediatamente. Se você quer acabar de ver o filme que começou na última hora que teve que esperar, coloque um pouco na geladeira para fica mais fácil!

Eu tirei uma sonequinha e deixei na geladeira. Tá bom, não dormi, mas que foi pra geladeira, foi! Enquanto isso eu preparava a mesa para os meus amigos que iam jantar aqui e servir de cobaia! Antes de abrir a massa, peneire abundantemente farinha. Sério. Abundantemente. Eu não fiz e depois tive que arcar com as consequências. Bom, abra a massa e por cima passe: uma xícara de manteiga derretida e 1 xícara de açúcar. Você pode aumentar as quantidades, já que a esta altura já deve ter reparado que isso não é nada light… E por cima uma camada bem generosa de canela.

Depois disso enrole a massa, o mais justo que conseguir. Corte em pedaços e coloque em uma forma untada.

Como é o tipo do doce que fica melhor no segundo que sai do forno, deixe pronto pra só assar na hora que quiser. E também deixe pronto a cobertura. Misture 500gs de açúcar de confeiteiro, 1/2 xícara de leite, 1/4 de manteiga derretida, e extrato de baunilha. Vai ficar bem consistente. Se não ficar, acrescente mais açúcar.

Depois, enquanto vocês jantam, é só colocar em forno médio durante meia hora. Ele sai douradinho e lindo! Por cima, jogue a cobertura. Ela pode ser consistente, mas como vai estar quente do forno, ela derrete e vai entrando em todos os buraquinhos livres!

E é só levar pra mesa! Essas são minhas cobaias experimentando!

E agora sobre o final de A Origem, lembrando! Se você não viu não LEIA! SPOILER ALERT!

Se você saiu do filme morrendo de vontade de saber se o tal do pião caia ou não caia, não está sozinho. Depois de incessantes perguntas sobre isso, o diretor Christopher Nolan, resolveu se pronunciar. Segundo ele, não importa se cai ou não cai, o que é importante que Cobb não quer saber. Seja o sonho ou seja a realidade, ele escolhe que ele quer simplesmente viver e que aquela será sua realidade.

Anúncios

9 Comentários

Arquivado em aventuras culinárias, Cinema com Açúcar, dicas, passo a passo, receita

9 Respostas para “Cinema com Açúcar – A Origem + Cinnamon Rolls

  1. Mariana

    Olha eu com a boca cheeeia na foto!Eeeeeeeee gorda!hahahaha!
    Aiii,tava tãão boa essa sobremesa! Aliás, minha mãe também amou!
    Má, já disse que posso ser sua cobaia para TODAS suas receitas!=D
    Quero maaaaaisss desses jantares! Um por semana,que tal?hahaha!
    Beijosss
    :*

  2. Giovana

    Oi, meu nome é Giovana, e eu nunca fui convidada para ver filme e comer doces!
    Saco!
    bjotchau.

  3. Marina, que blog lindo!! A combinação cinema + doces é dos deuses. Adorei. Um beijo,

  4. Curti muito o blog! Criativo, bem escrito e delicioso! Vou te linkar e visitar sempre!

    Beijos!

  5. Despina

    Cara mia nipote Marina,Che interessante il tuo blog non è il solito ricetario di ottime ricete ma la imaginazione di una ragazza sveglia,intelligente,sensibile che coglie la totalita delle emozioni della vita quotidiana.Complimenti sono fiera di essere la tua nonna,nonna Despina

  6. Pingback: 1 ano | Confissões de uma Doceira Amadora

  7. Bianca

    Nossa, eu sempre comi esse doce que a minha mãe pedia pra uma senhora fazer por encomenda e eu não sabia o nome! Vou fazer AGORA! É maravilhoso. Obrigada por explicar tão detalhadamente.
    Beijo

  8. Raquel

    Desculpe, eu nao entendo muito bem de cozinha (nada, na realidade).. entao assim… a manteiga que voce fala para colocar no creme é em que quantidade? E onde posso encontrar extrato de baunilha? Obrigada.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s