Arquivo da categoria: doce vida

Bolo Mármore

black_and_white_rain_drops-1747

Curitiba está assim hoje. Cinza, fria e chuvosa. Adeus verãozinho fora de época. Adeus dias de usar saia e tomar sorvete. Que venham os chocolates quente, “japona” e muito bolo quentinho pra aquecer a alma!

Hoje vou ensinar o clássico bolo aqui de casa. Clássico porque meu pai, que poderia requisitar o doce que quisesse, sempre pede esse. Então algumas vezes por mês lá vou eu pra cozinha fazer o tal bolo preto e branco! Ele é daquele simples, com cara de casa de vó e perfeito pra comer tomando um cafézinho com leite!

Vamos lá! Comece separando suas claras das suas gemas. Na receita você vai ver que eu peço 4 ovos. E cá estou eu usando 5. Não ache que eu tenho segredos de cozinha e passo receita diferente da que eu faço, é só que os ovos que estou encontrando ultimamente no supermercado me levam a crer que a galinha está tendo um caso com um codorna, de tão pequenos que são. Então tive que compensar.

marmore1

 

Tendo separado as suas gemas, bata elas até elas virarem nuvens dentro de um pote! Ou claras em neve, se não estiver se sentindo poético.

marmore2

marmore3

Deixe elas lá, quietinhas, enquanto faz o resto.

Um breve momento de explicação. Sou contra usar margarina na cozinha. Sempre acho que pode ser substituído por manteiga e ficar muuuito melhor. Só tem dois motivos que eu uso margarina, e os dois são neste bolo. Então não me julguem e confiem em mim.

Comece batendo o açúcar e a margarina (força, sem julgar!) até bem incorporado!

marmore4

marmore5Depois acrescente suas gemas e bata bem!

marmore6

marmore7

Agora separe sua farinha (com o sal e fermento) e seu leite (com a baunilha) e acrescente alternando. Comece e termine com a farinha. Por motivos de: é assim que eu aprendi.

marmore8

Quando você acabar de bater, vai ter uma massa maravilha na sua frente. Olha esses vales de gostosura, esses caminhos de delícia!

marmore9Ok. Não resisti. Hora da confissão. Eu “limpo” as pás da batedeira. Considero isso um pagamento dos deuses dos bolos a quem está se dispondo a assar um bolinho. Vá fundo, você mereceu essa iguaria!

marmore10

Agora é só acrescentar suas claras em neve, ou nuvens, com uma espátula.

marmore12

marmore13Bom, se você quiser, você pode muito bem parar por aí, colocar na forma e assar. Você vai ter um bolo de baunilha delicioso. Mas eu prometi um bolo mármore e pela minha honra, é isso que vocês vão ganhar!

Separe num outro pote um terço da massa e acrescente os chocolates em pó, com delicadeza.

marmore14

Gente, lembra quando eu falei dos vales de gostosura? Dos caminhos de delícia? É a mesma coisa por aqui, mas agora versão CHOCOLATE. Oh god…

marmore15

Só não esqueça de limpar do rosto todas as provas de que você resolveu… é… “experimentar” essa também.

Agora chegamos na segunda ocasião em que eu uso margarina: para untar. Por que? Porque acho mais fácil a consistência e sempre acho que desenforma melhor do que quando uso manteiga! Ei, cada cozinheiro com a sua mania!

marmore16

Agora vamos começar a “marmorizar”! Comece com um pouco da massa branca, e espalhe bem no fundo da forma.

marmore17

Agora é uma escolha artística pessoa. Você pode simplesmente jogar metade da massa branca, a massa de chocolate inteira e cobrir com o resto da branca. Isso se você não quiser acrescentar fantasia à sua comida. Se você for fazer assim, não me conte. Ficarei triste. Agora, se você quer um pouco mais de beleza no seu bolo, vá colocando colheradas aleatórias e alternadas pela forma.

marmore18

A última camada, de preferência deve ser branca, e pode alisar a massa.marmore19

Agora forno médio por mais ou menos 30 minutos ou até o palito sair limpo. Cubra com açúcar ou calda de chocolate. Mas dica, aproveite pra comer um pedaço quente e com um copão de leite do lado. Ahhh, as pequenas alegrias da vida!

marmore21

Vai dizer que não é tudo que você precisa num dia frio desses?

E viram que efeito mármore dentro?? Eu disse, um pouco de fantasia na sua vida!

marmore22

 

Ingredientes:

4 ovos

250g margarina

300g açúcar

1 xícara de leite

300g farinha

1 colher de chá de extrato de baunilha

1 colher de chá de fermento

pt sal

3 colheres de sopa de  Nescau

3 colheres de sopa de Chocolate do Padre

3 Comentários

Arquivado em confissão na cozinha, doce vida, passo a passo, receita

Bolo de Abóbora com Maple Syrup

abobora1

Esses dias ganhei uma abóbora. Não é o presente mais típico do mundo, mas altamente apreciado por aqui! Imediatamente pensei em fazer uma torta de abóbora, com nozes por cima! Porém, todavia, entretanto… meu pai não gosta de torta de abóbora. E dessa ele não gosta mesmo, não como ele “não gosta” de goiabada. Mas como é ele que come a grande maioria dos doces que eu faço, é melhor fazer algo que ele já comece com vontade! Então comecei um bolo, mas com algumas coisas mais especiais…

abobora2

Para começar, a gente precisa transformar esse cofre em formato de verdura (legume? fruta? o que é uma abóbora?!) em algo mais macio. Comece cortando “de cabo a rabo”, separando em duas partes iguais.

abobora3

Agora é hora de cavar! Tire todas as sementes e meleca lá de dentro! Boatos que você pode usar isso para outras receitas, mas… é… eu não usei. Tire tudo até ter uma caverna assim te esperando!

abobora4Então coloque numa forma com a casca virada para cima. Eu aconselho a colocar papel alumínio para forrar só para facilitar a vida. Vocês sabem como eu sou fã de facilitar a vida!

abobora5

Agora asse em forno baixo até conseguir enfiar um garfo através da casca como se fosse manteiga! A minha demorou quase uma hora e meia, mas isso vai mudar de abóbora para abóbora, de forno pra forno, então fique de olho!

abobora6

Vou parar por aqui e confessar que nunca fui muito fã de abóbora. Mas fazer esse bolo mudou minha vida! Depois que saiu do forno, eu tirei aquela abóbora de dentro da casca como se fosse sorvete! Como não se apaixonar assim?

abobora10

Agora, pegue todo esse “sorvete” de abóbora e bata no liquidificador. Ou no processador. Ou amasse na mão. Tá, to brincando, não estamos na era das cavernas, use alguma coisa elétrica e que vai te poupar gastar energia. Assim, só uma ideia! Sem falar que coisas elétricas tornam chegar nessa linda pasta de abóbora muito mais fácil!

abobora15 abobora14

Agora começar a outra coisa especial desse bolo, a manteiga! Claro que você pode ser uma pessoa normal e usar manteiga normal, mas nós sabemos que eu não sou e vou usar manteiga especial! Lembram da brown butter? Vamos usar de novo! Comece derretendo sua manteiga, e não se acanhe! Deixe ela borbulhar!

http___makeagif.com__media_4-04-2014_neFwY7

Um pouco depois desse estágio de borbulho aí, ela vai começar a escurecer um pouquinho e exalar um leve odor de nozes! Ai, a maravilha da manteiga!

abobora20

Agora, enquanto isso dá uma esfriada, vá fazer sua massa. Essencialmente jogue todos os outros ingredientes juntos e bata! Então farinha, 2 ovos inteiros, açúcares, maple syrup, abóbora e fermento. Bata tudo e veja que belezura!abobora18

 

abobora19

Agora, pode jogar a sua linda manteiga e misturar com calminha, na mão mesmo. Só porque ela merece respeito.

abobora21

Um breve momento pra confessar que esse bolo foi inventado. No sentido que eu nunca fiz antes, não tinha receita e meio que fui fazendo. Então chegou nesse ponto e achei a massa pesada. Então bati duas claras em neve e coloquei junto. Assim, de nervoso. Não tem foto, porque estava nervosa. Fim.

Mas no final foi a escolha certa, porque era isso mesmo que a massa precisava!

abobora22

E BAM! Bolo delícia pronto!


abobora23

abobora26

Iria perfeitamente com a Calda de Chocolate, mas meu pai estranhamento gosta de bolos secos. Ei, cada louco com a sua mania, né?

Ah

Ingredientes:

160g de manteiga sem sal, escurecida

1 1/2 xícaras de abóbora em purê

180 g de farinha de trigo

230 g de açúcar

180g de açúcar mascavo

2 ovos inteiros

50ml de maple syrup

2 colheres de chá de canela em pó

1 pt de sal

1 1/2 colher de chá de fermento

2 claras em neve

Faça o purê de abóbora e separe 1 1/2 xícaras. Faça a manteiga escurecida e separe. Bata todos os ingredientes, menos a manteiga e as claras. Adicione a manteiga com uma espátula, e depois as claras. Forno médio por mais ou menos 30 minutos, ou até o palito sair limpo.

 

Ah, sobrou bastante da abóbora! Então minha mãe fez uma sopa de abóbora, que ela já ensinou aqui!

 

 

4 Comentários

Arquivado em aventuras culinárias, doce vida, passo a passo, receita

Livro com Açúcar – A Menina que Roubava Livros + Torta Alemã

books

Eu gosto de ler. Sei que foi assim que comecei o outro post sobre esse livro, mas acho importante falar de novo. Eu era o tipo de criança estranha, que minha mãe tinha que me fazer escolher entre os 20 livros no meu colo antes de sair da livraria. E cada um que eu deixava pra trás era uma dorzinha no coração.

Sempre achei impressionante como às vezes você lê uma frase, um capítulo ou um livro inteiro que parece que foi escrito pra você. Você pode estar separado do escritor por um oceano ou por diversas gerações, mas aquela pessoa está falando com  você. Você já sentiu aquilo. Você pensa assim. E de repente o mundo fica um pouco menos impessoal e muito mais bonito!

Dito isso, também acredito que nem toda história seja para todo mundo. Que acontece de você pegar aquele livro que tem tudo para amar e não clica. Foi o que aconteceu comigo e a tal Menina que Roubava Livros.

bt3Não gostei. Não me matem. Não me julguem. Nem do livro, nem do filme. Mas por um motivo meio bobo, nos dois. Eu tive problemas com a linguagem. No livro já era carta cantada, já tinha lido outro desse escritor e está na minha lista de livros mais odiados da vida. Não consigo gostar do jeito que ele escreve. Do filme… ai. Tem uma coisa que americanos adoram fazer em filmes que se passam em outros países, que pra mim é como se passassem as unhas no quadro negro: o sotaque. Você falar com um sotaque alemão não faz que eu ache que você está falando alemão. Só faz você ser bizarro.

O livro é uma história contada pela morte, sobre uma garota alemã no auge da Alemanha nazista. Ela é adotada, e seu pai adotivo ajuda ela a aprender a escrever. Isso com as consequências e perigos do nazismo acontecendo. É, é isso aí. No final acho a história sem clímax, sem crescimento pessoal dos personagens e mega sem rumo. O único personagem que eu gosto muito é o Rudy. Esse sim tinha carisma!

ap_the_book_thief_kb_131107_16x9_608

Mas claro que tudo isso é opinião pessoal! Você pode ter amado pelos mesmos motivos que eu não gostei! Ei, o que seria do azul.  Gostei muito de receber todos os comentários, vários me incentivando a acabar o livro e vários simpatizando com a dificuldade de ler!

No final das contas, pode ficar feliz, que você vai ganhar a receita da torta alemã de qualquer jeito! Então vitória pra todo mundo!

Torta Alemã:

Ingredientes:
200g açúcar
400g creme de leite
200g manteiga
2 pacotes bolacha maizena
5 gemas

300g chocolate meio amargo
200g creme de leite

Para todas as instruções, é só assistir o vídeo!

 

 

 

Deixe um comentário

Arquivado em Canal do Confissões, Cinema com Açúcar, doce vida, Livros com Açúcar, passo a passo, receita

Feira Alto Juvevê

altoju1Esse final de semana, teve aqui em Curitiba a feira do Alto Juvevê Gastronomia! Como é muito perto da minha casa, acabei indo nos dois dias! Vou começar contando pelo domingo, só porque gosto de fazer as coisas assim, ao contrário. Não me julgue!

Já tínhamos pego a dica no sábado, de ir antes das 13h, então lá estava minha família ao meio dia e meia na praça! Quase nada de fila, algumas mesinhas ainda disponíveis, perfeito! Nos aproveitando de ter quase acesso livre às barraquinhas, no jogamos direto no almoço! E foi mais ou menos assim:

almoçoComo eu ainda estou viva, vocês podem ter certeza que eu não comi tudo isso da foto! Tá, eu comi a maioria, mas não tudo, juro!  Os meus escolhidos foram o Nhoque com ragú de carne assada do Empório Rosmarino e o Hot Dog Americano do Sr. Garibaldi. O hot dog já é meu velho conhecido das outras feiras, e tava uma delícia como sempre! Não sei quem teve a ideia de rechear uma vina com queijo, mas uma salva de palmas pra você! E o nhoque estava simplesmente delícia! As outras escolhas da mesa também estava bem gostosas!

Daí era hora, aquela hora! Da sobremesa! Vou falar que o que não faltavam eram opções!

docesAgora que entram meus problemas de decisão. Todas essas alternativas e vocês esperam que eu escolha só uma?! No way. Peguei duas e mandamos ver!

sobre

O da esquerda é um bolinho trufado com calda de caramelo, da Cuore di Cacao, e o outro é um brownie com calda quente e farofa de Negresco por cima, da Brownieria Fantástica! Maravilha! Eu cometi o erro de trazer mais colheres pra mesa e quase que não consigo comer nada! Vou falar, tem horas que ser educada não ajuda muito… Mas no final domingo foi muito maravilha!

Já sábado… Fui só eu e minha mãe, depois de um almoço tardio, comer nossa tão merecida sobremesa! Meu pai tinha almoçado lá e quando liguei ele falou que uma das sobremesas era crepe de Nutella. Eu disse crepe. de. Nutella. Em tempo recorde eu estava lá, com as lombrigas salivando.

crepe

Devo dizer que foi a única coisa que eu comi e não curti. Eles já tinha os crepes prontos e recheados, e quando você pedia eles jogavam numa chapa pra “dar uma esquentadinha”. Resultado: crepe duro, queimado por fora e frio por dentro. Minha lombrigas amantes de Nutella choraram. Mas fica a dica pra próxima né, crepes são rapidinhos de fazer!

Arrependimentos:

Meus arrependimentos foram vários, afinal dá vontade de experimentar TUDO, mas não tem barriga que aguente! Mas no topo da lista ficaram o hamburguer da Musik Hamburgueria, que tinha uma fila ENORME e os drinks do Blind Eye Tiger, que estavam com cara ótima, mas deixei passar!

Dicas:

Chegue cedo ou vá mais tarde. A hora do almoço tem fila pra tudo e se você tiver com muita fome vai se irritar! Outra coisa são as mesinhas, não tem lugar pra todo mundo. Eu vi uma menina que levou sua canga e achei a melhor ideia de todas! Não se estressa, senta onde quiser e o melhor: não vai comer de pé!

E você, foi? Gostou? Comenta ai e conta qual foi seu preferido!
 

5 Comentários

Arquivado em comendo por aí, Curitiba, doce vida

Confissão: A Menina que Roubava Livros

Estou sofrendo.

loudog1

Gosto de ler. Sempre gostei. Quem sabe dizer que gosto é pouco, sendo que já aconteceu em mais de uma viagem com amigos de me darem quotas no dia em que eu podia ler. Ok, sabendo isso tem mais duas partes da história que você precisa saber. Primeira, tenho uma regra que não assisto o filme se não tiver lido o livro no qual ele foi baseado. Não e pronto. Segundo, minha mãe cuida da maravilhosa Freguesia do Livro.

Foi numa conjunção de todas essas coisas que entrou a Menina que Roubava Livros. Estava saindo o filme. Minha mãe tinha acabado de receber um e eu gosto de ler! Tinha tudo pra ser perfeito.

Não foi. Não é. Estou a quase um mês tentando ler esse livro. Quem já me viu ler livros de 700pgs em 2 dias sabe o quanto isso é estranho. A confissão é: estou odiando. Não gosto do jeito do tal do Markus Zusak escrever e não consigo entrar na história. Mas daí você me pergunta, por que, então, você não para de ler? Porque não consigo.  No man left behind. Não abandono ninguém em batalha.

Sem falar que já filmei uma receita que vai acompanhar um post sobre esse livro/filme. O que significa que tenho que acabar de ler em mais alguns dias.

Então me ajuda! Você leu? Você gostou? Quer me explicar por que?? Ele melhora no final? Existe luz no fim deste túnel??

Me ajudem! Senão, nada de receita de torta alemã pra vocês!

10 Comentários

Arquivado em doce vida, Livros com Açúcar

washi tape + DIY da depressão

Tenho uma confissão: tenho um novo vício. Ele é japonês. Ele é uma gracinha. Ele é uma fita colorida. Ou melhor, várias! O que eu não consigo mais parar de usar é uma coisinha chamada washi tape, ou melhor, conhecida como a ‘fita crepe coloridinha que deixa qualquer coisa mais bonita’!

washi2

Olha aí minha mini coleção deixando minha prateleira mais bonita! Não vou falar que tá deixando ela mais colorida, porque vamos admitir, ela não precisa de nenhuma ajuda nesse quesito!

Essas fitinhas chegaram aqui em casa porque meu pai, sabendo que minha mãe é uma arteira de primeira, trouxe pra ela. Ela não entendeu muito a moral das fitinhas e deixou pra lá. Vitória pra mim, é claro! Eu entendi e muito a moral da história!

Comecei humilde. Precisava de um modo de diferenciar meu Kindle do Kindle do meu irmão, que na época eram gêmeos idênticos. E assim parar aquele mini ataque de pânico toda vez que abria o errado, de achar que não lembrava mais nada do que tinha lido. Pesadelo, I know.

washi7

Colei um pouco as fitinhas, que a esta altura já estão sofridas e abatidas. Mas ainda fazem o trabalho delas!

Daí comecei a me inspirar nas fitinhas maravilha! E lá foram elas, ajudando um simples e chato porta retrato de madeira a ter mais personalidade!

washi5Elas também começaram a aparecer no meu caderno/diário (não me julguem.), ajudando a deixar anotações de viagem e pedaços da vida mais coloridos e interessantes!

washi1

Lindo como elas trazem beleza pra qualquer coisa né! É como se elas melhorassem o seu dia! Como se fizessem você esquecer que você saiu do carro e esqueceu que seu celular estava no seu colo e ele… (gulp!)fez um mergulho em direção ao asfalto, em direção à morte. Sim, porque isto aconteceu.

washi3Sim, aquele Grand Canion aconteceu. Sim, aquilo corta o dedo. Sim, eu quase morri de tristeza. Tá, quem sabe o último não. Até o momento que eu descobri que custava quase um novo pra repor! Daí minha alma de DIY disse “não! Seja forte! DIY!”. Ei, quando sua alma fala com você, você escuta, ok? Então lá fui eu, me armei da minha washi mais amada, aquela que é de tecidinho, de florzinha e fui tentar melhorar a situação!

DSC_0217E tá-dá! Nada de cortar o dedo mais! Nada da minha alma morrer aos poucos toda vez que eu via o buraco! Agora restou apenas um leve lixar de unhar quando eu passo o dedo sobre a tela. Mas, ei! Deu uma melhorada, né?

Pra quem se empolgou com as washis, começa aquela velha história. É caro. No Brasil, é claro! Mas assim, nada que você precise fazer empréstimo ou vender um rim, naquele nível que nos EUA custa 1 dólar e aqui custa no mínimo 15 reais. Sim, isso mesmo! Você encontra em lojas de scrapbook. Mas se você for comprar fora, se joga! No Etsy sempre tem lindos!

Se quiser mais ideias de DIY, entre aqui pra ver como fazer marmitinhas de brownie e aqui como fiz cartões de visita handmade!

Deixe um comentário

Arquivado em desastres na cozinha, dicas, DIY, doce vida