Arquivo da tag: curitiba

Primeiros dias

Pra começar, queria agradecer todos os recados, mensagens, e-mail e ligações de boa sorte e parabéns que eu recebi depois do último post! Amigos, familiares, pessoas que eu não falo a muito tempo, amigos de internet, ilustres desconhecidos, o Papa… Tá, quem sabe não o último, mas é muito legal saber que tem gente torcendo por você! Então aí vai meu obrigada!

Minha intenção era ter chego ontem em casa e feito o post. Mas, porém, toda via, entretanto eu deveria dizer que passar 8 horas por dia de pé trabalhando é algo que vai levar um tempo pro meu corpo se acostumar. Ainda mais eu tendo inventado de ir correr quando cheguei em casa. Mas então aí vai meus últimos dias.

Cheguei lá, oito horas da manhã, nervosa e vestida de branco. Falei pro meu pai que esse é o mais perto que eles vai chegar de ter uma filha médica! Mas cheguei e já comecei: fiz mousse de morango, de limão, brigadeiro, torta da nonna, papo de anjo e ainda ajudei a fazer dois molhos para salada! Sim, isso tudo num dia só! E hoje fiz salada de frutas, cobertura da torta da nonna, calda para o papo de anjo, e ainda ajudei na cozinha quente.

O mais legal é que parece muito trabalho, mas não é! Pelo menos não parece. É claro que ficar 8hs de pé, carregando e levantando coisas pesadas cansa, mas o trabalho é mega divertido. No meio da tarde parei pra pensar por que eu ainda não estava cansada, e também percebi que muitas vezes eu fico eu fico horas de pé na minha cozinha mesmo! E ali, mesmo sem meu laptop passando uma série ou tocando uma música, tem a conversa pra distrair! O bom de cozinha é que, diferente de um trabalho sentado na frente do computador, você pode cozinhar e conversar com as pessoas ao redor e o pessoal lá é muito divertido.

Lá tem várias cozinhas separadas, a do pré-preparo, a cozinha fria, a quente e a da pizarria. Mas eu sou meio nômade, como pra fazer doces você precisa de um pouco de tudo, eu vou me movimentando. O que foi bem difícil porque, uma coisa que ninguém te conta, cozinhas são bem molhadas!! Não me pergunte o por que, mas são! E acredite, o esforço de não cair (que, aliás, foi bem sucedido!) segurando panelas pesadas, facas e coisas do tipo matam sua perna! Mas hoje comprei uma Crocs! Nunca achei que ia ficar tão feliz de ter aquele negócio feio no pé!

De ontem pra hoje já me situei mais, sei onde as coisas estão, e onde posso ir pra fazer as coisas! Mesmo assim acidentes acontecem. Ou quase! Enquanto estava fazendo a calda de papo de anjo pedi o cravo pra uma coleguinha de cozinha. Ela me deu, eu já tinha pesado e estava quase colocando na calda, eu olhei mais perto e era PIMENTA PRETA! Seria um papo de anjo épico! E ontem o Chef chegou e pediu pra fazer um creme, me deu a receita e começou a falar “daí você sabe. Você tem que fazer isso, colocar não sei aonde, cuidar com a temperatura daquilo. Fácil.” Nesse momento ele me olhou e viu o olhar de pânico no meu rosto. Mas ele me explicou certinho e o pânico passou…

Trabalhar no lá tem algumas vantagens. Alô, almoçar comida do Gepetto todo dia?! Score! O porém é que a gente almoça depois que os clientes foram embora, e minha barriguinha ainda não aprendeu a ter fome só depois das duas… Outra vantagem é (mulheres, preparem-se!) alguém lava a sua louça!! Ai, que lindo!

Pode não ser o Michael Jackson e o Paul McCartney, mas tá valendo!

Por hoje é só! Minha cama me espera! E amanhã tem feijoada lá, hein! E acreditem, passei o dia inteiro sentindo o cheirinho dela, vai tar demais!

5 Comentários

Arquivado em aventuras culinárias, confissão na cozinha, Curitiba, doce vida

Breakfast for Lunch

não se iludam, não sou eu.

Os americanos levam muito a sério o fato do café da manhã ser a refeição mais importante do dia. Não é como aqui no Brasil que a primeira refeição do dia é um pãozinho e um “pingado”. Lá são ovos, bacon, carne(!), linguiça, panquecas, waffles, cereais, batatas fritas… E se bobear tudo isso de uma vez! E eles gostam tanto destas comida que, de vez em quando, se permitem comer elas de novo em outras refeições. Eu lembro quando eu estava no intercâmbio, a maior alegria culinária da família era comer panquecas no jantar!

Aproveitando, ou melhor, sobrevivendo ao fato de minha mãe estar aproveitando as maravilhas da Itália (veja tudo sobre a viagem dela aqui) e eu ter que fazer minhas próprias refeições, pensei em por que não experimentar fazer panquecas! Hoje em dia, em qualquer supermercado que tenha uma sessão de importados, você encontra o pancake mix, que é um pó que você adiciona só leite e ovos e vira massa de panqueca, mas eu prefiro fazer desde o começo!

Panquecas:

  • 3/4 xícara farinha de trigo (valeu amiga baiana!)
  • 1 colher de chá de fermento
  • 1/2 colher de chá de sal
  • 1 colher de chá de açúcar
  • 1/2 xícara de leite
  • 1 ovo
  • 1 colher de sopa de manteiga derretida

Essa receita dá 4 panquecas de tamanho normal. Para ilustrar o post, fiz várias bem pequenininhas!

Começamos peneirando a farinha. Eu sei, peneirando. Eu admito ser aquela que sempre ignora essa parte nas receitas, mas nesta é melhor peneirar, acredite. Aproveite e já jogue junto o sal, fermento e açúcar.

peneire, please

Agora, faça um “poço” no meio da farinha e coloque ali o ovo, o leite e a manteiga derretida.

poço

Depois disso é só bater e pronto! Sério, com essa quantidade de trabalho realmente não tem porque comprar uma caixa de mix caro e industrializado, né? Agora é pegar uma frigideira bem reta, nada daquelas barrigudas. Esquentar ela um pouco e untar. Eu faço isso usando a linda da Pam, minha amada. Com uma concha, despeje a massa na frigideira. Não precisa se preocupar que ela fica redondinha sozinha.

panquequinha

Agora, o segredo é não se empolgar e aumentar o fogo. Vá com calma, veja as lindas bolhinhas subirem e garanta uma panqueca bem levinha. Uma dica é fazer cada lado apenas uma vez, e não ficar virando muitas vezes. Espere estar pronto de um lado para virar e fazer o outro. Assim a parte de virar também fica bem menos desastrosa!

virada

Eu sou fã de panquecas mais branquinhas. Mas quando for você que estiver segurando a espátula, você vai ser dono do seu próprio destino! Ou pelo menos da cor das suas panquecas!

Agora sobre coberturas! Achei no Casa Fiesta, aqui em Curitiba, o que não se pode bem chamar de Maple Syrup, e sim de Pancake Syrup. Ele tem uma base de Maple, mas é bem mais diluído, e também mais barato! Enquanto um vidrinho da calda de verdade está quase R$50,00, esta é menos de R$10,00 e é gigante! E sem falar que nos EUA é esse diluído mesmo que eles comem no café da manhã!

stack of pancakes

Ahh, o poder da fotografia. Olhando assim ninguém diz o quanto bite size essas panquecas são.

Bom, a partir daqui, vai da sua imaginação o que fazer com elas. Que tal, por exemplo, um pouco de geleia? Minha avó faz a melhor geleia de amora do mundo, com as amoras que meu avô planta e colhe! Melhor que isso, impossível!

geleia de amora

Que tal pedaços de chocolate?

chocolate chips

Dá só uma olhada naquele chocolate derretendo… Na minha opinião a melhor combinação. Eu queria testar com banana na massa, mas como já disse minha mãe está viajando e quem é que lembra de comprar banana quando vai no supermercado?! Eu que não. Você pode usar morangos, chantilly, Nutella, o que quiser! Agora ela é sua para testar!

Ah, e se você tiver crianças em casa ou for só fã da Disney como eu, que tal uma panqueca do Mickey?

mickey mouse

Fácil e sucesso garantido!

15 Comentários

Arquivado em aventuras culinárias, passo a passo, receita

2º Restaurant Week – Koh Thay

Quinta-feira fui no primeiro restaurante desta edição do Restaurant Week. O escolhido foi o Koh Thay, de comida tailandesa e japonesa. Fiz a reserva alguns dias antes, e garanti nosso jantarzinho.

Chegando lá, a primeira coisa que você repara é na decoração. Cheia de elementos tailandeses e uma iluminação linda. Sentamos e decidimos nosso cardápio. Durante o evento eles tem duas opções para os pratos, tailandes e japonês. Eu escolhi ir pelo caminho inteiro da Tailândia, já o Rafael escolheu o prato principal japonês.

A entrada que nós dois escolhemos foi o Guay Mou, um rolinho de papel de arroz, recheado com lombo, hortelã e especiarias, e acompanha geléia de pimenta.

Guay Mou

E era uma delícia! A geléia de pimenta combina perfeitamente, o hortelã também. Dava pra sentir como os ingredientes eram frescos! A única crítica é que por ser cozido, o rolinho fica um pouco molenga. Se fosse frito acho que o crocante deixaria ele perfeito! Mas isso pode ser síndrome de gordinha também…

Para o prato principal escolhi o Neua Man Hoi, que são cubos de mignon grelhados, ao molho de ostras e especiarias, champignon paris, brócolis e castanhas. E ainda acompanha arroz de jasmin e batatas empanadas.

Eu adorei o prato. Como é típico da culinária tailandesa, ele era composto de muitos sabores diferentes, mas que combinavam perfeitamente. A carne estava super macia e as batatas era uma delícia.

Pedimos também a entrada japonesa, que era um Spacy Salmon, medalhões de salmão grelhados, recheados com camarão, shitake, creamcheese e tomate seco,regados ao molho teriaky.

Também era uma delícia. Não pedi este porque não sou nem um pouco fã de tomate seco, mas experimentei e achei o prato uma delícia! E muito legal esse limão pegando fogo que vem decorando o prato.

E agora o mais importante: a sobremesa! Afinal, este é um blog de doces, não é mesmo? A nossa escolhida foi um Paw Pier Gluay, que é uma massa tailandesa recheada com banana, coberta com chocolate picante servida com sorvete de canela.

Paw Pier Gluay

Se os outros pratos eram bons, esse era especial, fechou o jantar com chave de ouro! A banana empanada fica crocante por fora e macia por dentro e a calda de chocolate com pimenta é maravilhosa! Bom, sou meio suspeita porque amo chocolate e amo pimenta, mas garanto que é um delícia. E ainda por cima o sorvete de canela, que não aquela canela forte que domina todo o prato, e combina perfeitamente com os outros elementos!

Vale muito a pena conferir! Ainda dá tempo, aproveitem que muita gente vai viajar no final de semana e tentem reservas.

Alguém tem alguma dica de restaurante que já foi e gostou?

4 Comentários

Arquivado em comendo por aí, Curitiba, dicas, restaurant week

2º Restaurant Week

restaurant week

Hoje começa o 2º Restaurant Week de Curitiba! Pra quem não conhece, é um evento que acontece em mais de 100 cidades no mundo inteiro, e começou como um modo de incentivar o movimento dos restaurantes em baixa temporada. Contribui também para instituições locais de assistência social, sendo que R$1,00 do preço da refeição vai para a caridade.

Nesta edição em Curitiba são 55 restaurantes participantes, e eles oferecem cardápios especiais durante duas semanas, de 27/09 a 10/10. O preço também é fixo, sendo a almoço por R$27,90 e o jantar por R$39,00 reais. É uma ótima oportunidade de conhecer aqueles restaurantes que são mais caros e nem sempre dentro do orçamento.

Nesta edição eu já separei alguns para experimentar, entre os que conheço e os que ainda não: o Lagundri e o Koh Thay, ambos com comida tailandesa. O Zea Mais, que tem comida contemporânea e é sempre uma delícia. O Le Rechaud que tem um ótimo foundue e o Chalet Suisse, com beefsteak tarta e ceviche peruano como entradas. Isso são os garantidos, se der tempo, e dinheiro vou em outros!

Algumas dicas para quem quer aproveitar ao máximo o evento:

hungry!

1) RESERVE!! A maioria dos lugares lota rapidamente nestes dias, e se você tem um que quer experimentar com certeza é melhor garantir!

2) O que está incluso no cardápio especial do evento é a entrada, o prato principal e a sobremesa. Bebidas, 10% e outros, não! Aconteceu na edição passada de pedirmos um pãozinho a mais e pagarmos R$8,00 por isso!!

3) Lembre que nestes dias é bem possível que o restaurante esteja trabalhando em capacidade máxima e isso as vezes atrapalha um pouco a experiência. Vá com calma e não se estresse!

4) Programe-se. Estamos numa maratona aqui, pessoal! Tentem aproveitar o máximo neste curto período!

Durante a semana vou contando os restaurantes que for e o que eu achei! Quem tiver alguma dica, conte também!

2 Comentários

Arquivado em Curitiba, dicas, doce universo, restaurant week

Confissão: Eu amo a Pam

Pam e eu tivemos um caso anos atrás, quando eu morava nos Estados Unidos. Nossa história foi linda, cheia de bolos desenformados perfeitamente e panelas untadas num piscar de olhos. Mas chegou a hora de ir embora, e tive de deixar Pam para trás. Por mais que eu quisesse ela em minha vida, ela não chegava até o Brasil. Mas numa visitinha ao Mercado Municipal um dia deste, quando eu menos esperava, lá estava ela, na prateleira, me olhando.

a amada

Foi um reencontro lindo! O melhor é que agora ela está disponível no Brasil e tem amor pra todo mundo! A Pam é um spray de óleo de canola, que unta formas perfeitamente! Uma das coisas que mais me irritam e tem que untar e depois enfarinhar formas, mas com ela o trabalho dura apenas alguns segundos! Custa pouco e dura muito! Melhor combinação impossível.

5 Comentários

Arquivado em confissão na cozinha, Curitiba, dicas, eu quero!

Panquecas Americanas em Curitiba

Acho que a esta altura não é nenhuma surpresa meu amor por comidas americanas. Cupcakes, cookies, brownies… é, acho que estava meio na cara. Tem alguma coisa no despreendimento deles, de como eles não se importam o quanto aquilo seja gorduroso, engordativo e nada saudável que simplesmente me fascina! Então imagine a minha felicidade quando descobri a Brooklyn Coffe Shop aqui em Curitiba.

Eles tem panquecas e wafles com Maple Syrup, brownies, cookies, sanduíches de manteiga de amendoim com geléia… Tudo de bom americano! E o lugar é uma graça também! Eu recomendo.

E dá só uma olhada nessa pilha de  panquecas!

stack of pancakes!

Aquela jarrinha ali atrás tem Maple Syrup, pra você colocar do jeito que quiser.

Já levei o namorado, amigos, priminhas… e todos amaram! Agora estou devendo uma visitinha com a minha vó, que quer muito conhecer!

6 Comentários

Arquivado em comendo por aí, Curitiba, dicas