Arquivo da tag: ganache

Roma, doce Roma

Hoje, quem vai escrever vai ser minha mãe, a Jô. Ela também tem um blog, o Arte Amiga. Ela tem porque me copiou. Sim, essa é a mais pura verdade. Feio, eu sei. Mas eu amo ela mesmo assim. E devo admitir que o blog dela… bom, pode ser que seja mais legal que o meu. Mas, vou deixar vocês serem os juízes. Já falei que vocês estão lindos hoje? Mais magros e interessantes? Bom, só comentando! Mas voltando ao assunto, minha mãe foi viajar por Roma, pra visitar meu irmão que está morando por lá. Eu sei, pobrezinho. Mas agora ela vai contar um pouco das doçuras de Roma!

“Estive em Roma e como mãe de uma doceira, prestei muita atenção aos doces romanos. Na verdade, nem precisa prestar muita atenção, pois a gente tropeça em confeitarias e sorveterias a cada 5 passos. Tudo é apetitoso e delicioso, mas eu tenho a sorte de enjoar fácil de doces, por isso preferi fotografar.

O povo italiano é movido a café. O capuccino é o preferido e qualquer hora é hora. Foi lá que nasceu o café espresso ristreto, fortíssimo. Nas cafeterias que estão a cada esquina, tem uma quantidade industrial de docinhos e cornetos, que estão ali para acompanhar o café. Ou seja, italiano passa o dia tomando café e comendo doce. No intervalo, uma pizza, é claro.

Confeitaria básica no meio do caminho. Irmão da Marina tomando um capuccino.

A confeitaria que achei mais formidável foi a Cristalli di Zucchero. E nessa viagem descobri que tem uma filial bem pertinho de um ponto turístico que muita gente adora visitar, apesar de eu não ver a menor graça nele: a Boca della Veritá. A história é que o povo vai lá para colocar a mão dentro da boca – se falar a verdade, nada acontece, mas se estiver mentindo, a boca decepa a sua mão. Programão, não?

Cristalli di Zucchero.

Sorvete é outra delícia essencialmente italiana. Os sabores são os mais variados, a textura perfeita e eles são totalmente contra usar aquela colher para fazer bolas de sorvete. O negócio é espalmar artesanalmente quantidades generosas sobre o corneto e ainda coroar com uma dose de panna (chantilly quase sem açúcar, só para calibrar calorias). E eles têm um sabor que adoro e que ainda não vi aqui no Brasil: o Fior di Latte.

Nutella é italiana, quem não sabe? Isso significa que crianças italianas têm a mesma relação com a Nutella que nós aqui temos com a margarina ou o requeijão cremoso: servem para passar no pão. Só isso para mim já era meio estranho, mas comemos um sanduiche de Nutella, com óleo de oliva e grãos de sal. Bizarro? Mas delicioso!

Sanduíche de Nutella, óleo de oliva e sal!

Quer ir visitar um amigo? Não apareça sem levar uma torta. A sorte é que em todo canto tem uma geladeira bem recheada como essa para você não aparecer de mãos abanando.

E resolvi testar e mostrar a receita do meu doce italiano preferido, sempre prontinho nas geladeiras das confeitarias, os Profiteroli al Cioccolato.

Se você, como eu, gosta de cozinhar mas acredita que dá para fazer isso de modo prático, compre profiteroles prontos em alguma confeitaria perto da sua casa. São também chamadas de Carolinas, devem ser pequenas e sem recheios. Para essa torta usei apenas 12, mas você vai definir a quantidade de acordo com a “pirâmide” que você quer fazer.

Ingredientes:

12 carolinas pequenas

Profiteroles comprados e vazios.

Cobertura de chocolate:

150 gr. de creme de mesa fresco

10 ml de leite

170 gr. chocolate meio amargo em pedaços

Coloque o creme de leite e o leite em uma panela. Quando estiver perto de começar a ferver, adicione o chocolate, desligue o fogo e mexa até dissolver os pedaços do chocolate e formar uma calda lisa e homogênea. Coloque na geladeira para atingir o ponto ideal. Enquanto isso, bata o chantilly.

Chantilly para o recheio: bater 250 gr. de creme de mesa fresco com 1 colher  de sopa de açúcar e uma colher de chá de açúcar de baunilha. Se quiser um chantilly mais leve, adicione uma clara batida em neve.

Montando a delícia: Faça um furo pequeno com o cabo de uma colher na parte debaixo do profiterole, coloque o chantilly em um saco de confeiteiro.

Furo no fundinho.

Recheando com chantilly.

Recheie os profiteroles e depois mergulhe-os na calda de chocolate. Dá um banho de chocolate, pesca a delícia toda enchocolatada  e vai montando a pirâmide. Pronto e lindo!

Banho de chocolate! Também quero!

Dá nisso…

E se você quiser assistir uma italiana ensinando a fazer esse doce, fique à vontade. Ela é bem mais disposta do que eu, ensina até a fazer a massa dos profiteroles:

Marina, adorei estar aqui! Bjo da Mamma.”

Anúncios

14 Comentários

Arquivado em aventuras culinárias, comendo por aí, dicas, doce universo, doce vida, doceiro convidado, passo a passo, receita, Viagem com Açúcar

I’m back!

Depois de um hiato do blog, estou de volta! Meu lar virtual pode até ter ficado parado, mas a cozinha não! Final de semana passado foi o Bazar ArteAmiga, e lá foram alguns cupcakes de Nuttella e de cenoura.

Semana passada, também teve o aniversário da Fer, que fez curso de Cool Hunting comigo e encomendou cupcakes para a festinha de aniversário dela. Foram cupcakes de Cenoura com Ganache de Chocolate, de Chocolate com brigadeiro e Chocoball e de Chocolate com ganache de chocolate.

cupcakes de aniversário

cupcakes de aniversário

Foram até com um “F” pra homenagear a aniversariante!

1 comentário

Arquivado em Curitiba, doce universo, doce vida

Saaz

O que é Saaz? Como boa pessoa atual, se você não soubesse colocaria no Google, certo? Até um tempo atrás, ele te diria que significa um lúpulo aromático, mas agora ele te diz que é um bar em Curitiba com mais de 100 rótulos de cerveja.

Acompanhei o nascimento do Saaz. Os donos são grandes amigos do meu namorado, e a essa altura amigos meus também. Conheço eles desde que íamos almoçar no pequenino Carocha com o maior prazer, tanto pela comida, quanto pela companhia. Vimos eles dando um grande passo e comprando o bar que agora é praticamente nossa parada obrigatória nos finais de semana. E dias de semana também. Mesmo que você não goste de cerveja você vai encontrar alguma lá que seja do seu gosto.
A minha preferida é de cereja, que parece champagne. E os donos estão sempre disponíveis pra te ajudar a escolher uma entre tantas opções.

Mas o mais legal do Saaz, pra mim pelo menos, é que a sobremesa são meus cupcakes! Toda vez que vou lá e vejo o cardápio tenho uma onda de orgulho! São servidos o Cupcake de Cenoura com ganache quente de chocolate e o Cupcake de Guinness com recheio de ganache e cobertura de buttercream com whiskey!

Cupcake de Guinness

Cupcake de cenoura com ganache quente de chocolate

Se você tem curiosidade de experimentar meus cupcakes passe lá! E aproveite e combine com uma cerveja, tenho certeza que você vai achar uma que combine!

O Saaz Bier Bar fica na Rua Presidente Taunay, 434.

4 Comentários

Arquivado em aventuras culinárias, comendo por aí, doce vida, não é doce mas é gostoso

Torta de ganache

Essa é uma torta facílima, que creio que qualquer pessoas que saiba como fazer ganache pode fazer. Mesmo assim ela causou uma certa quantidade de tensão e vocês já vão entender porque.

Minha mãe é o tipo de pessoa que ama receber pessoas em casa, cozinhar, cuidar, etc. Ela tem um grupo de amigas, (um não, vários, ela é muito popular) que se encontra mais ou menos um vez por mês, e há algum tempo o encontro foi na nossa casa. Eu estava querendo experimentar essa receita da Chocolatria já fazia algum tempo, e foi uma ótima ocasião. Sendo assim, fiquei responsável pela sobremesa que seria a Torta de Ganache de Limão e Chocolate.

Primeiro fiz a casquinha. Pequei biscoitos amanteigados e precisava transformá-los em pedacinhos bem pequenos. Bom, nessa hora você pode bater no liquidificador, processador, o que você tiver a mão. Já eu escolho por tudo dentro de um saquinho plástico e mandar vem com o rolo de macarrão. Ótima terapia desestressante  enquanto se cozinha.

terapia

Agora muito menos tensa, foi só misturar com a manteiga e formar a casquinha.

casquinha

Em seguida são dois ganaches, um de chocolate branco com limão e outro de chocolate amargo com rum. Não sou a pessoa mais entendida do mundo quando se trata de bebidas alcoólicas, então aproveitei que meu pai estava em casa e pedi pra ele pegar o rum pra mim. Depois de prometer que eu ia usar só um pouquinho, ele trouxe para a mim o que ele chamou de “O Senhor de todos os Rums”. Com o devido respeito a vossa senhoria, aqui vai a foto:

O Sr. Rum e seus ganaches

Agora é só montar tudo. Intercalar um pouco de cada sabor, ficando assim:

.

Agora vamos ver quem está prestando atenção… Quem tinha reparado que a forma mudou? Alguém? Alguém? Buller? Buller? (Curtindo a Vida Adoidado… se você não tinha entendido.) Sim, mudou. Era forma novinha e foi trocada… er.. por esta. Por que? Posso até tentar dizer que é um forma velha que se faz comida boa, mas era só porque a outra era muito grande.

reparou?

Dando aquele toquezinho marmorizado no final e pronto! Geladeira até a hora de servir!

Agora, você pode estar se perguntando como uma receita desta pode ter causado tensão. Eu explico, a tensão vem da parte da minha mãe, que fica realmente muito preocupada de eu tentar receitas novas em dia que tem visitas! Mas ei! Foi um sucesso!

5 Comentários

Arquivado em aventuras culinárias