Arquivo da tag: massa

Let’s go nuts for doughnuts!

donuts

Finalmente participei do meu primeiro desafio da The Daring Kitchen! E a receita era de Doughnuts (ou Donuts, eles não se decidem…)! Pra mim tinha dois desafios escondidos. O primeiro, e mais tenso, a massa precisa crescer, não uma, mas duas vezes! A última receita que precisava esperar a massa crescer… bom, digamos que foi um fiasco! O segundo era ser fritura. Não só uma fritura normal, mas deep fried, aquela que você joga a garrafa inteira de óleo na panela! E numa casa onde nada é frito. Por isso, muito espertamente, aproveitei novamente o fato de minha mãe estar viajando, senão isso nunca seria permitido!

Comecei a massa e usei o fermento que minha vó indicou. E gente, que beleza! A massa que começou assim:

começo

Ficou assim! … Tá bom, esqueci de tirar foto! Mas foi de pura emoção!! Olhe novamente na imagem de cima, e imagine toda aquela área verde ocupada pela mais linda massa do mundo! Isso, usem suas imaginações e perdoem o fato de não ter foto.

Estiquei a massa e cortei os círculos. A receita diz pra usar cortador de biscoito grande para fazer isso. Eu não tinha, então usei uma xícara. Jeitinho brasileiro na cozinha.

cortados

Depois de feito isso, precisa cortar os buraquinhos do meio que são a característica principal do donut. Sabe como americano é. Lá eles tem um cortador só para isso. Aqui, eu usei um bico de confeitar grande.

quem não tem cão…

O resultado foi ótimo. Depois foi só colocar em formas e deixar a massa crescer pela segunda vez.

furadinhos

Vocês repararam no par de mãos extra me ajudando? E que tem um outro alguém tirando a foto? É porque este dia não foi um de culinária solitária, meus amigos Neto e Ciça vieram me ajudar! Agora eu confesso… Eu chamei o Neto pra ele fritar os donuts pra mim…

fritador

Sabe, não sou muito fã de cheiro de fritura. E ele trabalhou direitinho! Os que ele fritou ficaram melhores do que os que eu tentei. Já a Ciça, bom… Ela veio pra comer.

cada um na sua função

Tá, brincadeira! Ela ajudou também. Ela passava o açúcar no recém fritinhos. Fizemos três “tipos” de donuts. O normal…

olhe que lindos!

Os donuts holes, que são os buraquinhos que você corta. Na minha opinião, o melhor! Pequeno e gostoso!

donut holes

E os que era pra ser recheados que, coitados, ficaram parecendo acarajés. Não se pode acertar tudo…

donuts-acarajé

Foi super divertido e ainda mais delicioso! Comemos tudo que pudemos aguentar, mas mesmo assim cada um deles foi pra casa com uma “marmitinha” de donuts!

marmita

Se você também quiser testar isso em casa, tem a receita aqui.

Obrigada ao mesmo ajudantes!

Anúncios

6 Comentários

Arquivado em aventuras culinárias, desastres na cozinha, doce vida

Torta vulcânica

Sou muito fã do Chocolatria, e já até tentei fazer o Stick de Fudge-licious dela! Não deu muito certo e eu transformei em um bombom de fudge. O site dela é de babar, e sempre dá vontade de reproduzir todas as receitas! Então, quando eu vi esta torta foi direto pro topo da minha lista de doces novos.

A atração já começou pelo nome: Torta Vulcânica de Chocolate! Depois vi os ingredientes e vi que tinha tudo em casa. Pronto. Isto mais o meu irmão que não parava de reclamar que fazia tempo demais que eu não fazia doce pra ele.

Comecei pela massa, que é feita toda na mão. Fácil de fazer e bem rápida. Um pouco mais difícil de colocar na forma, mas cheguei lá.

massa

Não perfeitamente, mas cheguei! Enquanto a massa ia assando, fui fazer o recheio. Começa batendo açúcar, ovos e mel até eles ficarem bem airados. Isso vai ser fundamental depois.

airado

Assim, quando você colocar a mistura de chocolate, ela ainda vai ficar leve.

bubbles! my bubbles!

Daí já é hora de colocar o recheio na massa. A esta altura você pode estar se perguntando porque esta é uma torta “vulcânica”. Seria pelo modo que o recheio escorre e preenche a massa como lava?

…1…

…2…

…3…

Não, não é por isso. Será pela camada de Ovomaltine que vai por cima, e parece cinzas de vulcão?

ovomaltine

Também não é por isso. Mas tem a ver com o Ovomaltine! Quando a torta sai do forno, ele se torna uma casquinha meio quebrada, meio dura, que fica lembra um vulcão.

vulcãozinho

Eu admito que a da Chocolatria ficou muito mais vulcânica que a minha, mas do mesmo jeito ela fica muito linda.

humm…

E o resultado? O recheio ficou uma delícia, cremoso, não tão doce e dá pra sentir o mel. Sem falar na casquinha que o Ovomaltine forma que é uma das melhores partes. A casca, not so much. Ficou muito massuda e sem graça. O resultado foi um monte de pratinhos onde só sobrou a massa e o recheio foi todo comido!

torta

A solução da próxima vez será fazer o recheio em uma forma refratária e comer de colheradas! Nada mal!

2 Comentários

Arquivado em aventuras culinárias, dicas

Começando uma torta…

Torta é aquele tipo de doce versátil. Pode ser de frutas, verduras, chocolate, ganache, carne ou o que você tiver disponível. Mas mesmo assim toda torta tem uma base, e esta base é a massa. Hoje em dia, você pode até comprar pronta, mas por que não fazer e garantir aquele gostinho de feito em casa?

Então começamos, com bastante manteiga e farinha.

começando

Essa massa é uma que deixa muitas pessoas tensas, porque é muito fácil de ficar impossível de desenrolar depois. Mas achei na internet uma receita que dizia ser infalível e aqui está o segredo:

água russa

Um poquinho de vodka e a massa ganha uma consistência inacreditável. Depois de bater é só deixar gelar por um tempo na geladeira e tirar para desenrolar.

enfarinhado

Nessa hora é fundamental a farinha. Não adianta nada a vodka se você deixar grudar na mesa. E agora vem a parte divertida!

Depois de desenrolado você, com muito cuidado, coloca em cima da sua forma de torta. Agora é aquela hora que me deixa morrendo de inveja da Branca de Neve, que cantava e assobiava e vinha um bando de passarinhos para terminar a torta, cortando os excessos. Se você é do tipo de pessoa que tem passarinhos treinados, assobie e coloque-os para trabalhar. Já eu tive que pegar a boa e velha faca.

na falta de passarinhos…

Depois é só ir apertando nas bordas com alguns centímetros de distância. Isso serve tanto para grudar nas bordas quanto para, você sabe… ficar bonito!

Massa pronta!

Agora é só fazer o que quiser e completar a torta! Mas lembre, é sempre boa pré-assar a massa por pelo menos 20 minutos antes de colocar o recheio. Assim você garante que ela fique mais sequinha e crocante.

1 comentário

Arquivado em aventuras culinárias