Arquivo da tag: receita

Blueberry Crumb Cake

Semana passada falei sobre a minha tia, a Chris, também conhecida por mim como Tiatici. E agora tá na hora de falar sobre outra, a Mari. Ela não é tia de sangue, casou com meu tio e pronto! Ganhei uma tia! Mas isso foi antes de eu nascer, então diria que tia minha sempre foi, e madrinha também. Só não digo que quase o mesmo tempo porque meus pais esperaram um tempo incomum pra me batizar. Sério. Eu tinha idade suficiente para estar olhando com grande desaprovação para o tal do padre.

A tangente foi longe e longa, mas acontece. Comentei com a Mari que não conseguia encontrar blueberry em lugar nenhum de Curitiba. Nesse momento, vários leitores estão pensando: mas tem na loja “X”, no supermercado “Y”! E minha resposta é: Tem pra você! Pra mim, não. Eu escuto uma dessas dicas, saio correndo e batata! Acabou, nunca teve, “o que é blueberry?” e coisas do tipo. Mas minha tia solucionou meu problema e comprou essas duas lindas caixinhas pra mim! E eu aproveitei pra por em prática uma receitinha da Pioneer Woman, que eu estava querendo faz tempo demais!

Blueberry Crumb Cake

70g de manteiga

3/4 xícara de açúcar

1 ovo

1 colher de chá de extrato de baunilha

2 xícaras de farinha de trigo

3 colheres de chá de fermento

3/4 xícara de leite

2 xícaras de blueberrys

Vamos começar, então, juntando o açúcar, o ovo, a manteiga e bata bem. Isso se você tiver paciência. Eu estava em um dia um pouco rebelde e já juntei quase tudo junto. Farinha, açúcar, fermento, manteiga, leite, ovo… Todo mundo feliz e misturado, sendo batido junto! Ah, os pequenos momentos de rebeldia…

Claro que toda rebelião tem seu preço, e minha manteiga não foi perfeitamente incorporada. Eu sei, que feio. Não que isso tenha tido qualquer tipo de efeito no produto final, mas é sempre bom comentar. Vai que você resolve fazer essa receita, decide seguir meus passos sombrios e entra em pânico porque a manteiga não está incorporada? Eu não conseguiria viver com essa culpa.

Moving on… Depois disso a massa está pronta! É só misturar delicadamente as blueberries, até que elas sejam incorporadas pela massa. Vamos parar um minuto e nos deleitar com a beleza dessas frutinhas azuis que quando estouram soltam esse lindo tom de roxo? Vamos.               Ah, as pequenas coisa lindas da vida!

Massa pronta, passamos para o crumb, mais popularmente conhecido como farofa!

75g de manteiga

1/2 xícara de açúcar

1/2 xícara de farinha de trigo

1/2 colher de chá de canela

pt de sal

Misture tudo, quebrando a manteiga com um garfo até que fique farofenta. (Essa palavra não existe, mas passa a mensagem, portanto é válida.)

Feito isso, é só untar uma forma. Eu tive q brilhante oportunidade de usar a Pam de manteiga! Tem alguma coisa nessa ideia de manteiga derretida em spray que me faz feliz!

Com a forma já untada é só por a massa e por cima a farofinha.

E então forno! Por uns 30 min, ou até ficar dourado! E como fica dourado! E cheiroso! E roxinho! E lindo! Acho que estou amando…E como fica lindo por dentro também, todo tingido pelas blueberrys!

Ah, minhas tias são demais!

Anúncios

12 Comentários

Arquivado em aventuras culinárias, dicas, doce vida, passo a passo, receita

Feliz Dia das Mães!

Hoje é Dia das Mães, e essa vida de cozinha me fez passar longe da minha. Mas coração de mãe é bom e sempre entende! Falar, ou agradecer, sua mãe nesse dia sempre parece pequeno. Minha mãe fez um trabalho melhor do que eu posso fazer no blog dela, mas mesmo assim eu agradeço aqui também!

Mãe, você é o tipo de mãe que eu quero ser! E melhor que isso não há.

Agradecer também minhas avós, minhas tias e madrinha que também são verdadeiras mães na minha vida, e mais amor que isso não tem!

Bom, semana passada comentei sobre a torta de maçã que fiz no trabalho! Hoje vou postar a receita! É bem facinha. Quem sabe você não faz um mimo pra sua mãe e ainda finge que deu o maior trabalho?

Apple Pie

Lembrando que a receita vem da Larousse das Sobremesas, que ganhei do meu tio de aniversário!

Massa Podre Enriquecida:

250g farinha de trigo peneirada

180g manteiga em temperatura ambiente

1 colher de café de sal

1 colher de café de açúcar

2 gemas

50 ml de leite

Amoleça a manteiga com uma colher de pau. Quando estiver cremosa, adicione sal, açúcar, gemas e leite. Quando tiver homogêneo, comece a adicionar o trigo. Pare assim que virar uma bola consistente e embrulhe em filme PVC, fazendo um disco. Deixe descansar por no mínimo 2 horas na geladeira.

Torta:

40g de farinha de trigo

30 g de açúcar

uma pitada de baunilha em pó

1/2 colher de café de canela em pó

uma pitada de noz moscada

800g de maça

1 limão

1 ovo batido

Fatie a massa bem fininha. Enquanto vai fatiando, vá deixando as cortadas em uma bacia com água e limão, pra que não escureça. Junte o trigo, açúcar, baunilha, canela e noz moscada numa tigela. Separe a massa, abra e coloque numa forma de torta. coloque metade da mistura com trigo por cima da massa. Arranje as maçãs em círculo por cima, e depois despeje o resto da mistura. Abra o resto da massa e coloque por cima, feche as bordas e sele com ovo batido. Faça furinhos para sair o ar. Asse até ficar dourada, aproximadamente uns 20 minutos.

Fácil, não? E logo ela sai assim, dourada e cheirando a maçã com canela!

Um Feliz Dia das Mães pra todos!

Deixe um comentário

Arquivado em aventuras culinárias, doce vida, passo a passo, receita

Aniversário de uma Doceira!

Sexta-feira foi meu aniversário! E se você está parando agora para ver qual foi a data no calendário, eu já lhe digo: Sim, faço aniversário no Dia da Mentira! Vou dar um minutinho pro pessoal passar pelas piadas óbvias. Vamos ver, eu não nasci, ninguém acreditou quando meus pais contaram, na verdade eu estou brincando e não é meu aniversário, e é claro, a minha preferida: por isso que você é baixinha! Mentira tem perna curta! Mas passando as óbvias, se você tiver uma nova manda!

Mas mesmo assim é sempre um dia muito bom! Faço contagem regressiva, só falo disso semanas antes… e o meu dia nunca decepciona! Esse ano, já no trabalho, tive duas surpresinhas, uma logo cedo de manhã, um JoJo fantasiado de joaninha!

Pra quem nunca comeu lá na Gepetto e não conhece, um JoJo é tipo um petit gateau, mas muito melhor! Foi um ótimo jeito de começar o dia! Claro que trabalhar o dia inteiro no dia do seu aniversário deveria ser proibido, mas tudo bem! O resto do dia foi muito bom, com jantar com meus pais e ver meus amigos!

No dia seguinte, teve o meu jantar de aniversário com a família! E diria que ficou bem claro pras mesas ao nosso redor que eu faço doces… Talvez isso tenha alguma coisa a ver com o fato dos meus gritos e pulinhos de alegria quando eu ganhei uma batedeira planetária!!! Um presente dos meus avós, que lembraram de uma coisa que eu disse meses atrás! Dêem oi pra minha lindinha!

Um pitél, né? Eu sei! Claro que as pessoas tiveram outras chances de perceber o que eu faço, quando eu ganhei dos meus tios essa Laurousse das Sobremesas! Ela é demais, ensina de tudo bem detalhadamente e com várias dicas. Não vejo a hora de fazer umas experiências.

A minha cunhada me deu uma barra de chocolate. Bom, falando assim parece sem graça, mas olha o recheio!

Tá bom, ela não me deu o computador… Ela não é uma cunhada tãããão boa assim… Mas é uma muito boa! Sabe bem o que eu gosto! E sabe né, Jéssica! Fica a dica pro ano que vem! E o próximo presente foi um lindo pressentimento da minha madrinha, que me deu, sem saber que eu estou de olho nisso faz mais de um ano! Digam oi pra minha nova Diana F+, edição especial Mr. Pink!

Sim, uma câmera rosa e com um nome inspirado em Cães de Aluguel! Perfeita! De filme de verdade, old school e charmosa! Com certeza vou me divertir muito com ela! Mas por enquanto, que eu ainda não aprendi todos os truques dela, eu vou me divertindo com a minha batedeira planetária. Resolvi fazer alguns cupcakes para aproveitar essas belezinhas que minha amiga trouxe dos EUA pra mim!

E como eu tinha Maple Syrup de verdade dando mole aqui em casa, resolvi inventar uma receita com eles! E com “dando mole” eu quero dizer “roubei da casa dos meus avós”. Tá bom, não roubei. Mas pedi incessantemente. Eu sei ser bem convincente… Mas continuemos!

Cupcakes de Maple Syrup

2 ovos

2/3 de xícara de óleo de canola

1 xícara de açúcar

1 1/2 xícaras de farinha de trigo

1 colher de chá de fermento

4 colheres de sopa de Maple Syrup

Sendo uma daquelas receitas facílimas, é só bater tudo! A massa dá para 10 cupcakes. 20 minutos em forno médio e pronto. Cobri com o ganache que minha mãe fez aqui e ainda um fio de Maple Syrup por cima! Um delícia!

E com certeza foi uma delícia de aniversário! Esse ano promete!

12 Comentários

Arquivado em aventuras culinárias, doce vida, passo a passo, receita

Casa dos Avós

A casa dos nossos avós sempre é um lugar especial. É um lugar de família, comidas gostosas, brincadeiras, almoços e muito mais. Pra mim, pelo menos. A minha acho que ainda mais. Minha família, toda quarta-feira, almoça lá. É sagrado, as pessoas mudam compromissos pra poder comparecer. Até na faculdade meus amigos sabiam que quarta-feira não podia, era dia de almoço na Casa da Omi (Vó em alemão). E alguns especiais até foram convidados a comparecer!

A casa deles tem um quintal maravilhoso, que na minha infância tinha parquinho, campinho de futebol e casinha de boneca. Ou seja, o paraíso dos netinhos! Mas os netos foram crescendo, e o quintal amadurecendo. Deixou de ser o lugar de brincadeiras e começou a ser o lugar dos meus avós. Por exemplo, esse é meu avô em seu habitat natural:

Ele é tão natural ali que muitas vezes quando vou dar tchau não consigo achar. Ele tá atrás das plantas das árvores, e se mistura por ali. Mas tem certas coisas no jardim que não se misturam tão bem. Dá uma olhada:

Plantado no meio do jardim, um carro antigo. Lindo, maravilhoso, mega bem conservado. É nele que eu vou chegar no dia que eu casar! Não sei com quem, mas sei com que carro eu vou. E ele tá ali, do lado lindo do jardim que meu vô cuida com tanto carinho.

Hoje o jardim é o playground de dois meninos: o Francisco e o Bonifácio. Mais conhecidos como Chico e Boni. Eles não são umas gracinhas?

E ali, ao lado de tantas flores, mora o Atelier de pintura da minha vó e suas flores pintadas. E os dois se juntam e convivem perfeitamente.

Lá dentro, várias coleções maravilhosas. Meu vô coleciona de tudo, miniaturas, patos, pratos, cinzeiros, isqueiros, e por aí em diante. Minha mãe já até falou disso no blog dela. Mas a que eu mais invejo e admiro é essa:

Viu a quantidade de câmeras? Novas? Velhas? Extremamente velhas? Ahhh… a beleza! E é claro que a companhia de muitos DVDs e livros também ajuda!

Mas outra coisa que faz essa casa ser tão especial hoje em dia, é que minha vó é uma doceira de primeira! E de tempos em tempos a gente se encontra pra ela me ensinar uma receitinha. E essa foi a da vez:

Docinhos de Aveia

É uma receita alemã. Tem um nome alemão. Não queiram saber qual é. Não tenho essa capacidade.

Essa é a receita. Direto do caderno de receita da minha avó (que honra!), e com a letra da minha tia Dóris. Porque a receita é dela! Bom, se preparem. Essa receita é bem difícil. Horas na cozinha. Muito suor e dor nas costas.

Tá bom, estou brincando. É extremamente fácil. Ótimo pra crianças. Ou preguiçosos.

Junte a aveia, com a farinha e o açúcar peneirados.

Junte os outros ingredientes e misture. A massa toda deve ficar úmida.

E pronto! Massa feita! Complicado, não. Agora é só por bolinhas, bem distantes uma das outras numa forma untada. Bem distantes. Tipo, muito mesmo!

Vocês viram o que eu escrevi, né? Vocês repararam que nós não fizemos isso? Bom, 15 minutos de forno depois e eles saíram assim:

Tudo bem, eu gosto desse look rústico!

É o tipo de biscoito que te surpreende, parece simples, mas é uma festa na sua boca.

E pra mim, vai sempre lembrar a casa dos meus avós.

16 Comentários

Arquivado em aventuras culinárias, passo a passo, receita

Receita de Família

Uma parte legal dessa história toda de blog é poder compartilhar receitas e depois saber do resultados que as pessoas tiveram quando tentaram a mesma coisa. Isso faz você se sentir parte de uma grande família “internáutica”. Ainda mais porque é justamente o que a gente faz com a própria família.

Nestas férias, enquanto passava minha temporada na praia, minha prima de Blumenau, a Katia, foi nos visitar. E pro lanchinho da tarde eu fiz o Bolo Mármore, que é preferido do meu pai e naquela tarde também virou o preferido da minha priminha, a Martina! Depois disso, a Katia queria muito a receita do Bolo Mágico, como ficou conhecido naquela casa. Mandei, é claro, mas cobrei fotos dos lindinhos da Martina e do Otávio comendo!

A receita vou colocar em breve, mas queria mostrar o quanto meus priminhos são lindos antes!

4 Comentários

Arquivado em aventuras culinárias, doce vida

Cinema com Açúcar – 127 Horas + Nozes Crocantes

Bom, antes de começar, sim, este é o filme que o cara corta o próprio braço fora. Mas tendo dito isso, esperem! Não tem nada a ver com Jogos Mortais, nem nada parecido.

O filme conta a história real de Aron Ralston, um aventureiro que certa manhã parte para descobrir mais um canyon. Tudo seria como de costume, mas durante uma descida, dentro de um pequeno desfiladeiro, uma rocha enorme cai em cima de seu braço, deixando ele preso. Já seria ruim o suficiente, mas fica pior. Ele está sozinho. Calma, a desgraça não acabou. Ele não contou para ninguém para onde ia.

Após a queda da pedra, Aron faz um inventário de tudo que tem em sua mochila, e o que vai ajudá-lo a sobreviver. Conta com pouca água, menos ainda de comida. Alguns equipamentos de escalada e um canivete sem fio. E é claro, uma pequena filmadora e uma câmera fotográfica. A filmadora acaba se tornando o espectador, pois é através dela que ele explica sua situação, sua evoluçãou, ou falta dela, para tirar a pedra e sair dali.

É o tipo de filme estranho de se assistir, porque você já sabe o que vai acontecer, você sabe que medidas drásticas que ele deverá tomar pra sair daquele lugar.  Corria o risco de o espectador passar o filme inteiro apenas esperando o momento, mas não é o que acontece. Devemos tomar um momento e parabenizar o diretor Danny Boyle, ele conseguiu dar o suficiente da história de Aron e uma quantidade de verdade, que você passa o filme torcendo por ele, sofrendo junto e por último, seguindo junto com ele até o último recurso.

James Franco está provando que merece a indicação ao Oscar. Ele passa do aventureiro independente, que não precisa de ninguém, para alguém em choque ao ver o estado que se encontra. De alguém delirando de dor, falta de água e comida para alguém que aceita sua sentença de morte. E é claro, por fim, alguém que percebe o quanto quer viver e a que medidas está disposto a tomar para conseguir sua vida de volta. É uma história inacreditável, e é verdade.

Algumas curiosidades: A câmera usada nas filmagens é a verdadeira que foi usada pelo Aron Ralston no canyon. As mensagens que ele gravou durante seu tempo preso haviam sido apenas vistas por sua família e amigos próximos e guardadas em um cofre. Danny Boyle e James Franco receberam autorização de assistir para que o filme fosse o mais fiel possível. Aron falou que o resultado foi o mais perto de um documentário sem deixar de ser um drama.

A cena do braço foi feita apenas uma vez, num take de 20 minutos. Não foi repetida porque Boyle disse que conseguiu o que queria naquela primeira vez. E também porque só havia uma prótese do braço.

Para conseguir retirar o braço de Aron de debaixo da pedra, foram necessários 13 homens, um guincho e um macaco hidráulico.

Finalizando, recomendo prestarem atenção na ótima trilha sonora e na mensagem do final.

Bom, depois de um filme complicado vamos a uma receita fácil!

Nozes Crocantes

Ingredientes

200g de nozes picadas

5 colheres de sopa de açúcar

1/2 colher de sopa de manteiga

Uau, só isso!

Coloque tudo numa frigideira e coloque eu fogo bem baixo.

Mexendo de vez em quando, o açúcar e a manteiga vai derreter e começar a caramelizar as nozes. Demora mais ou menos uns 15 minutos, mas fique de olho porque pode queimar de uma hora para outra!

Quando chegar a um tom dourado, e tudo já tiver derretido e caramelizado, tire do fogo. Espere esfriar. Elas vão formar um disco duro. Daí é só quebrar com as mãos.

Você pode fazer isso pessoalmente. Eu não fiz. Essas mãos não me pertencem, são da minha mãe. Sabe como é, eu tinha coisas pra fazer e não queria melecar minhas mãos. Afinal, não é pra isso que mães servem? Não?! Sério?! Vou ter que rever conceitos…

Depois disso, você pode guardar num potinho e usar para incrementar sobremesas. Sorvetes, frutas, bolos… O que quiser! Eles duram um bom tempo num compartimento fechado. Eu usei em cake pops! Ficaram rústicos e uma delícia!

5 Comentários

Arquivado em aventuras culinárias, Cinema com Açúcar, dicas, passo a passo, receita

Cinema com Açúcar – A Rede Social + Crostata de Morango

Como todos devem saber, este filme fala sobre como começou o Facebook. Se você não sabe disso, provavelmente não tem internet e também não está lendo este post, então vou falar com aqueles que sabiam disso.

Em 2003, enquanto Mark Zuckerberg estudava em Harvard, ele resolveu fazer algo que chamesse a atenção das pessoas no campus. Não tendo sido chamado pelas fraternidades que para ele significariam mais oportunidades e portas abertas, ele segue outro caminho. Cria, com a ajuda de alguns colegas, um site que classifica as alunas da faculdade. Este projeto, mesmo sendo retirado do ar em pouco tempo, faz que sejam notados.

Mark é então chamado pelos gêmeos Winklevoss para programar um site de relacionamento para Harvard. Mas enquanto isso, ele próprio segue com seu projeto pessoal, o Facebook. A partir daí, começa a se tornar cada vez maior, mais lucrativo e mais famoso. Mas o sucesso vai trazer muitas complicações para Zeckerberg, tanto pessoais quanto legais. Ele começa a ser processado pelos Gêmeos, que o acusam de ter roubado a ideia, e por Eduardo, seu melhor amigo, e que o ajudou a começar o Facebook e quem Mark deixa praticamente sem nada quando o site decola.

O filme é realmente muito bom, claro que o diretor David Fincher leva grande crédito, pois a direção, a fotografia e a montagem do filme estão ótimas. Mas a interpretação de Jesse Eisenberg do fundador convencido e genial do Facebook é o que chama a atenção. Ainda mais se você vê o Mark Zuckerberg de verdade. Veja esse vídeo para ver os dois juntos. Aliás, este dia foi o primeiro em que os dois se encontrar, pois Fincher proibiu todos os atores principais de encontrar quem estariam interpretando. Andrew Garfield e Justin Timberlake também estão ótimos em seus papéis, do melhor amigo e de Sean Parker, o Napster.

Pra quem já viu, ou planeja ver, algumas curiosidades. Durante uma audiência, é mencionado que Mark Zuckerberg ter inventado o tornou a pessoa mais importante num campus que incluia 19 ganhadores do prêmio Nobel, 15 ganhadores do Pulitzer, dois futuros atletas olímpicos e uma estrela do cinema. A estrela é Natalie Portman, de o Cisne Negro, que estudava em Harvard nesta época. Os atores que interpretam os Gêmeos Winklevoss são realmente idênticos, mas e se eu te disser que eles nem parentes são? Como Fincher não conseguiu encontrar gêmeos que se encaixassem no perfil, ele pegou dois atores diferentes, mas de biotipo parecido e “colou” o rosto de um no outro. E fica realmente imperceptível!

Bom, e com um filme bom desses temos que fazer um doce a altura! A receita é da Ângela, amiga da minha mãe e que também tem coisinhas na Arte Amiga.

Crostata de Morango

Bom, posso ter dito de morango, mas como os cake pops e os waffles você vai poder personalizar e fazer do seu sabor preferido! E o melhor dessa receita: é impressionantemente fácil de fazer e fica com uma cara muito refinada. Ou seja, você pode fingir que deu trabalho!

Ingredientes:

200g de farinha de trigo

100g de manteiga em pedaços

50g de açúcar

1 ovo

Geléia a gosto

Raspas de limão

Pt de sal

Comece colocando em uma tigela a farinha e a manteiga. Com a ajuda de um garfo vá quebrando a manteiga até conseguir uma massa bem granulada. Acrescente o açúcar, o ovo, o sal e as raspas de limão. Com as mãos, misture até virar uma massa firme.

Deixe por pelo menos uma hora na geladeira e depois abra numa superfície com farinha. Separe um pedacinho para depois. Abra até ela ficar numa espessura de mais ou menos meio centímetro. Passe para uma forma untada. Não se preocupe se a massa rasgar na hora de passar para a forma, você pode emendar depois. Você pode ver pela foto 2 que foi o nosso caso.

Agora é a hora da geléia! Nós escolhemos uma de morango, feita em casa pela minha tia Dóris, com a fruta inteira. Yumi! Mas novamente, você pode escolher o que você mais gosta! Ou a que tiver em casa… Ou Nutella!!! Alguém tenta com Nutella, por favor? E daí me conta? Obrigada. Mas façam uma camada fina mesmo, nada de jogar o pote de geléia inteiro em cima da massa. Resista a tentação.

Pegue aquele pedacinho de massa que tinha separado e abra ele. Faça tirinhas de mais ou menos um centímetro e comece a colocar em um sentido, lado a lado, com um espaço entre elas.

E então faça no outro sentido, formando uma rede. Uma rede! Entenderam? Rede Social? Nossa, como eu sou espertinha! Por cima das tirinhas pincele uma gema, assim ficará mais dourado.

Depois é só uns 20 minutinhos no forno a 190º e pronto!

Mas lembrem, finjam que deu muito trabalho! É sempre bom manter a imagem de quem trabalhou demais na cozinha para agradar!

7 Comentários

Arquivado em aventuras culinárias, Cinema com Açúcar, dicas, passo a passo, receita